Show ‘Adoniran Barbosa: dá licença de contar’ mostra atualidade do compositor paulista

Show de grupo brasiliense tem arranjos potentes e mostra atualidade do compositor paulista. Autor de alguns dos maiores clássicos da música brasileira, Adoniran fazia sambas descontraídos, mas também críticas sociais.

Adoniran Barbosa é o compositor de algum dos maiores clássicos da música popular brasileira, como Trem das Onze e Saudosa Maloca. Seu samba por vezes descontraído, traz também temas sociais, como o da moradia.

Adoniram soube retratar a vida do paulistano e as suas dificuldades. Morto há mais de 30 anos, sua obra continua atual. E a releitura do show “Adoniran Barbosa: dá licença de contar” deixa as músicas ainda mais vivas, com arranjos impecáveis do grupo formado pelos músicos Pedro Vasconcellos (cavaquinho), Igor Diniz (contrabaixo), Sandro Souza (bateria), Alessandra Terribili e Eduardo Souza (voz).

43691899_1982708138455416_4966985474297036800_n

No show, que assistimos na última quarta-feira, 24 de outubro, no Feitiço Mineiro, em Brasília, Alessandra e Eduardo, contextualizam as obras de Adoniran. Eles se revezam nos vocais e, entre uma música e outra, falam sobre a obra e o que está por trás de cada canção. Assim, o público conhece o Adoniran personagem, engraçado, mas também preocupado com questões sociais.

Antes da música Despejo na Favela, Alessandra comenta: “É uma música atual num país que tem mais casa sem ocupantes do que gente precisando de moradia”. E então, seguem os versos. “Quando o oficial de justiça chegou/Lá na favela/E, contra seu desejo/Entregou pra seu narciso/ Um aviso, uma ordem de despejo…”

O repertório traz os principais sucessos do compositor, como Trem das Onze, Saudosa Maloca e Tiro ao Álvaro; mas também sambas garimpados com amor e carinho, quase inéditos, como Encalacrado.

Há também espaços para piadas. Eduardo conta – aproveitando o vazio deixado pela tarefa de troca de corda do cavaquinho – que, por recomendação médica, Adoniran tinha sido aconselhado a parar com álcool. Ao que respondeu: “Mas faz tempo que não tomo [[álcool]. Só quando falta cachaça”.

Em tempos sombrios em que é cada vez mais difícil encarar a realidade sem, de vez em quando, recorrer a um pouco de cachaça, assistir ao show é uma excelente oportunidade para se divertir com uma bela apresentação sem deixar de refletir sobre a realidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.