Em Curitiba, Lula e Requião defendem a reconstrução do Brasil

Mais de 3 mil pessoas participaram nessa sexta-feira, dia 18, do ato de filiação de Roberto Requião ao PT e lançamento da pré-candidatura dele ao governo do Estado. O evento, realizado na Expo Unimed, em Curitiba, teve a presença do ex-presidente Lula e reuniu ainda a presidente do PT Gleisi Hoffmann, o governador Wellington Dias (PI) ,o senador Jaques Wagner e parlamentares do partido.

Foto: Eduardo Matysiak

Em clima de festa e com apresentações culturais que animaram os participantes, muitos vindos de outras cidades através da organização de caravanas, o evento foi marcado pelos coros de “Volta Requião”, “Lula lá” e “Lula e Requião”.

Em discurso, Requião afirmou que chega ao PT com serenidade para lutar pela reconstrução do país.

“A tarefa de salvação e reconstrução do Brasil é infinitamente maior que nossas diferenças. Companheiros são aqueles que, sentados à mesma mesa, repartem o pão. O pão doce e farto dos bons momentos, e o pão amargo e parco dos momentos difíceis. Tenho convivido com a militância do PT há algum tempo. E hoje, após longa reflexão, a convite do Lula e da Gleisi, assino a minha filiação”.

União

De acordo com Requião, o momento pede união para derrotar um governo que aniquila a soberania nacional e os direitos dos trabalhadores. “Faço aqui uma renovação de votos reafirmando minha fidelidade ao povo brasileiro e ao meu país. Agradeço ao Lula e aos tantos amigos presentes o testemunhos desse ato. Se lá atrás, ao abrigo do MDB ,reunia-se ampla frente de brasileiros cujo obtivo comum era a derrubada da Ditadura, agora nos agrupamos com foco na libertação de um país e de um governo que aniquila vorazmente a soberania nacional e suprime o direito dos trabalhadores”, destacou. “Venho encorpar esse movimento e espero que mais brasileiros tomem a mesma posição e a mesma direção. Afinal, esses dias tão sombrios não concedem espaços a titubeios, ambiguidades ou melindres”.

Apoio a Lula

Requião fez a demonstração recente mais clara e efusiva de apoio a Lula, defendendo ao longo de meia hora tanto realizações de seus próprios governos no Paraná quanto os avanços nos mandatos do ex-presidente. E ressaltou que Lula é o único capaz de reconduzir o Brasil para um caminho de prosperidade.

“Quanto mais se aproximava a hora da minha filiação, mais convicto eu ficava de que meu lugar é esse, nesse partido, nessa frente, neste movimento. E mais me convencia que não tem outro: é o Lula. É ele o único candidato capaz de retirar o país do atoleiro. Quem tem a força, a história de vida e a experiência do Lula? Essa é a batalha das nossas vidas”.

Discurso de Lula

Foto: Guilherme Bittar

O ex-presidente reafirmou apreço por Requião e o agradeceu por ter aceitado o desafio de filiar ao PT e disputar novamente o governo do Paraná. “Tenho certeza de que você vai conviver com o pessoal do PT e vai chegar à conclusão de que o PT é o mais extraordinário partido de esquerda da América Latina. Não tem nada similar”, disse.

Foto: Guilherme Bittar

Lula pontuou que a tarefa de reconstruir o Brasil não será fácil. “Eles têm a máquina, mas nós temos a verdade estampada das coisas que fizemos no Paraná e no Brasil. Você tem legado, você tem história. Nós temos história”.

O ex-presidente fez um relato emocionado da experiência de votar a Curitiba depois de ficar 580 dias preso injustamente na cidade. “Hoje eu vivi talvez o dia mais emocionante da minha vida porque, depois que eu saí da PF, é a primeira vez que eu volto a Curitiba e hoje eu fui encontrar com algumas centenas de companheiros que fizeram a Vigília durantes os 580 dias. Eu nunca aceitei a ideia de que o Paraná é um estado conservador, nunca aceitei a ideia de que o Paraná é um estado antipetista. Eu já tive vitórias memoráveis aqui no Paraná, acompanhei a vitória do primeiro prefeito esquerdista do Paraná, o Requião. O estado que tem a coragem de eleger um companheiro como o Requião, um estado que tem a coragem de eleger uma mulher como a Gleisi não pode ser chamado de conservador”.

A presidente do PT Gleisi Hoffmann ressaltou a relação profissional e de amizade com Requião. “Mais do que representar um partido como candidato a governador e o Lula como presidente, temos que fazer grande movimento em defesa da democracia, da soberania e dos direitos do povo. É esse movimento que vai ser capaz de vencer as eleições”.

Mudança de partido

Aos 81 anos e após de três mandatos como chefe do executivo do Paraná, além de mandatos no Senado entre 1995 e 2002 e 2013 e 2018, essa é a primeira vez que Requião troca de partido. Após uma série de embates internos no MDB, ele estava sem partido e se filiou nessa sexta ao PT, depois de analisar outros convites.

Outras autoridades

Também estiveram presentes na cerimônia de filiação o presidente estadual do PT do Paraná, Arilson Chiorato, os senadores Paulo Rocha e Rogério Carvalho, os deputados Zeca Dirceu e Ênio Verri, o presidente nacional da Força Sindical, Miguel Torres, o coordenador nacional do MST, João Paulo Rodrigues, os ex-senadores Lindbergh Farias e Ideli Salvatti, além de deputados estaduais e outras lideranças do PT do Paraná.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.