Lula comemora crescimento da participação da população negra na política brasileira

Foto: João Risi

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou à distância do evento “Quilombo nos parlamentos”, realizado na noite dessa segunda-feira, 6, em São Paulo. Por conta do diagnóstico de Covid-19, ele precisou entrar ao vivo de sua casa e elogiou a união de diversos movimentos e partidos em torno do lançamento de pré-candidaturas negras para disputar vagas nas Assembleias Legislativas, na Câmara dos Deputados e no Senado nas eleições de outubro.

“Eu estou nessa trincheira da luta pela democracia no país há muitos anos. E é a primeira vez que me deparo com um encontro extraordinário como esse, onde o movimento negro, as pessoas que lutam para sobreviver a cada dia, tomam a decisão de lançar candidaturas pelos mais diferentes partidos políticos para tentar estabelecer dentro do Congresso Nacional um verdadeiro quilombo. É uma coisa extraordinária”, disse Lula.

Para o ex-presidente, ajudar a construir o protagonismo dos movimentos negros na política brasileira é importante para fazer com que a população possa ter ainda mais espaços para serem ocupados nos diversos segmentos da sociedade, uma tendência que vem se fortalecendo.

“É importante a gente ter em conta que uma campanha política é feita de esperança, feita de compromisso que a gente possa ter com as pessoas e nós precisamos contar para a sociedade brasileira uma narrativa não apenas do nosso passado, daquilo que nós precisamos construir com a participação do povo negro na vida política, econômica e na vida social deste país, ocupando todos os espáços a que temos direito e os negros mais ainda porque durante séculos foram subjugados de tudo neste país”, afirmou.

O grito dos movimentos é essencial para isso, segundo ele. “É por isso que é importante essa organização de vocês, é por isso que é importante esse grito de vocês. É por isso que é importante essa manifestação pública de dizer: nós queremos ser tratados como gente, nós não queremos mais ser tratados como coadjuvantes, nós queremos ser sujeito da história, queremos construir a história e contar a nossa história. Se um dia mataram Zumbi, hoje é importante eles aprenderem a conviver com os milhões de Zumbis que estão sendo criados nesse país”, declarou.

Legado de ações afirmativas

Lula também citou o legado dos governos petistas para a população negra, que incluiu a criação da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do Estatuto da Igualdade Racial e da Lei de Cotas nas universidades e no serviço público.

Os resultados na educação estão entre os mais importantes. Em 2000, somente 30% dos negros entre 15 e 17 anos cursavam o ensino médio. Em 2010, já eram 50% e em 2018, o número chegou a 65%. Nas universidades, a participação da população negra, que era de 23,2% em 2002, subiu para 43,7% em 2015. Em 2018, pela primeira vez os negros se tornaram maioria nas universidades públicas.

Os programas sociais também foram principalmente voltados para as desigualdades que atingem esse setor majoritário da população. O Bolsa Família tinha 73% de famílias negras em 2014. Mais de dois terços dos beneficiários do Minha Casa Minha Vida baixa renda eram negros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.